BLOG


Centro de Operações de Rede (NOC)

Serviços Gerenciados asseguram especialização e melhores práticas para que TI possa focar nas demandas de negócio.

Imagem 1

Junto à crescente dependência de serviços digitais e conectividade para qualquer organização funcionar, a complexidade para cumprir os requisitos de disponibilidade, segurança, compliance e entrega de funcionalidades levaram a uma ampliação do escopo do Centro de Operações de Rede (NOC) da First Tech, que tinha sido pioneira nesta modalidade de suporte. Ao mesmo tempo em que a TI tem seu papel acentuado no desenvolvimento de negócios, gerenciar o ambiente tecnológico exige ferramental, métodos e, principalmente, pessoal especializado. Os serviços gerenciados disseminam os mais altos padrões de gestão, mesmo em empresas com equipes e orçamento restritos.

Serviços de consultoria, design, implementação, gerência e operação já são, de certa forma, naturais aos integradores focados nos resultados dos clientes. Na prática, há bastante tempo as atividades de serviços ganham peso em comparação a venda de produtos. O NOC, contudo, sistematiza uma estratégia fundamentada em replicação de processos testados (configurações, parâmetros etc.); certificação contínua de profissionais; melhores práticas de gerenciamento de TI (ITSM); além da possibilidade de investimento imediato nas melhores ferramentas de monitoramento e gestão. Evidentemente, a combinação de foco e especialização com os ganhos de escala resulta em um gerenciamento de nível corporativo, com uma eficiência que minimiza os custos.

A iniciativa da First Tech tem sua origem há mais de 10 anos, quando aplicações altamente sensíveis às condições da rede, como videoconferência e comunicações unificadas, destacavam a importância do gerenciamento de disponibilidade, qualidade e custo. Hoje, há uma expectativa generalizada em relação à entrega de recursos e serviços de TI. Sem rede ou sem sistema, o e-commerce não vende, o hotel não reserva e a fábrica não recebe pedidos. A multiplicação dos pontos de conexão (filiais, home offices, redes wireless etc.), a criação de serviços online (que exigem monitoramento contínuo); e a agilidade exigida para disponibilizar os serviços tornam o gerenciamento ainda mais crítico.

                                                                                                            

Melhores práticas – gestão voltada aos resultados da atividade-fim

A certificação em disciplinas como ITIL e Cobit tem um efeito prático: os processos de gestão de TI passam a ser gerenciados conforme seu impacto nos resultados da atividade-fim, disciplinando as prioridades de atendimento.

A capacidade de enxergar não apenas a totalidade da infraestrutura, mas também a função de cada componente nas aplicações de negócio, faz com que as atividades técnicas se alinhem às prioridades estratégicas de geração de receita, mitigação de riscos ou diferenciação no mercado.

Projetos não podem travar por falta de gente

A certificação de profissionais de gestão de infraestrutura pode ser um investimento desproporcional para organizações em que TI seja uma atividade-meio, ou até mesmo para empresas digitais focadas em suas aplicações. Em ambientes multivendor esse custo se multiplica e mesmo no caso de redes mais homogêneas (com um ou pouco fornecedores), alguns fabricantes incluem especializações cada vez mais amplas em seus programas, o que torna o investimento ainda mais pesado. O provedor de serviços obtém um ganho de escala que viabiliza montar equipes multidisciplinares, com os mais altos níveis de qualificação. O contato direto com as áreas de engenharia dos fabricantes; a velocidade de resolução de quem lida com problemas semelhantes todos os dias; e a replicação das melhores soluções encontradas são também alavancadores da produtividade e assertividade das equipes do NOC.

Suporte a todo o momento e em qualquer lugar

Incidentes e ataques não têm hora para acontecer. O NOC mantém uma operação 24x7, em que profissionais certificados fazem o monitoramento contínuo, para gerenciamento proativo e resposta.

O NOC centraliza a gestão da rede empresarial, dos pontos distribuídos e também dá visibilidade dos serviços em nuvem, para evitar que gargalos nessas aplicações comprometam o desempenho da empresa.

À medida que filiais, canteiros de obras e outras unidades de trabalho operam com cada vez mais TI agregada, a gestão centralizada do NOC permite que se mantenham os padrões de qualidade e segurança ao longo de toda a rede. A linha de serviços gerenciados inclui ainda suporte on site.


Relacionamento com fornecedores simplificado

Os conceitos de replicação de processos e outros facilitadores trazidos por um paceiro altamente especializado não se restringem às melhorias operacionais. No dia a dia das atividades do NOC, os profissionais mantêm contato permanente com os fabricantes, o que acelera tanto a configuração da solução tecnológica quanto das alternativas comerciais para a execução dos projetos.

Os clientes do NOC contam com um ponto único de contato para gerenciar os SLAs (acordos de nível de serviço) com os diversos fornecedores envolvidos no ambiente.

O atendimento a empresas com equipamentos comuns permite também que o provedor de serviços gerenciados mantenha estoques de peças de reposição, para mitigar ainda mais qualquer risco de descontinuidade.

O NOC funciona também como uma base de gestão de mudanças. Por sua capacidade de antecipar impactos, testar, monitorar e responder a incidentes, o NOC proporciona agilidade, sem comprometimento da continuidade dos negócios.