BLOG


Estudo estima que ciberataque pode causar prejuízo médio de US$ 800 mil em infraestrutura virtual

Empresas gastam muito para se recuperar de ciberataques quando suas infraestruturas virtuais são afetadas. Quando isto ocorre, o gasto médio para se recuperar do incidente excede os US$ 800 mil, o dobro se comparado a incidentes que só comprometem a infraestrutura física da empresa. Esta é uma das conclusões do estudo 'Segurança de Infraestrutura Virtual', realizado pela Kaspersky Lab e B2B International, em 2015. Ele é baseado numa pesquisa internacional com mais de 5.500 companhias de 26 países, incluindo Brasil, Colômbia e México.

De acordo com o estudo, pequenas e médias empresas experimentam o mesmo padrão das grandes corporações. Na média, as PMEs reportaram danos de mais de US$26 mil por ataque que afetaram sua infraestrutura física. No entanto, em ataques envolvendo a infraestrutura virtual, os gastos chegaram a US$60 mil.

Os custos adicionais na recuperação após ataques cibernéticos devem-se principalmente ao fato de que a maioria das empresas usa a infraestrutura virtual para as operações mais importantes: 62% das companhias que já adotaram plataformas de virtualização tendem a confiar a elas os processos de negócios mais críticos.

Enquanto em 36% dos incidentes reportados o ataque físico levou a uma perda temporária de acesso à informação crítica de negócio, este índice sobe para 66% quando a falha afeta servidores virtuais e desktops.

Os ataques que afetam ambientes virtuais geralmente exigem orçamento adicional para contratar especialistas terceirizados. Empresas precisam pedir ajuda não apenas de consultores de TI, mas também de advogados, especialistas em gerenciamento de riscos, etc.

A complexidade das medidas de segurança no ambiente virtual, bem como a percepção incorreta do cenário de ameaças, são dois elementos adicionais que aumentam o custo de recuperação. O estudo da Kaspersky Lab mostra que 42% dos negócios acreditam que os riscos de segurança no ambiente virtual são significantemente menores que no ambiente físico; e 45% das companhias reportam que o gerenciamento de segurança no ambiente virtual é tido como um problema. Além disto, apenas 27% das empresas implantaram soluções de segurança projetadas especificamente para o ambiente virtual.

"Empresas acreditam que a virtualização do negócio diminuirá seus gastos com TI e simplificará suas infraestruturas. No entanto, os resultados da pesquisa mostrou que é preciso dar a atenção necessária para as questões de segurança, pois os gastos podem ultrapassar os benefícios. Acreditamos que as empresas devem usar soluções de segurança customizadas, compatíveis com suas infraestruturas de virtualização e que ofereçam controle e monitoramento centralizado. A solução deve ter um impacto baixo nos recursos, alta taxa de detecção e habilidade para encontrar atividades suspeitas imediatamente. Nós colocamos em prática esta visão e nossa melhor tecnologia na solução Kaspersky Security for Virtualization", comenta Matvey Voytov, gerente de produtos corporativos da Kaspersky Lab.

Fonte: Converge.com