BLOG


Quatro tendências em comunicações unificadas para 2015 21/01/2015

Para empresa de análise de mercado, corporações vão investir cada vez mais em nuvens híbridas e videoconferência.

A empresa de análise de mercado Ovum divulgou hoje (3) um relatório em que elenca as tendências que deverão marcar o ano de 2015 no setor das comunicações unificadas (UC, na sigla em inglês). O estudo conclui que grandes, médias e pequenas empresas mudaram seu processo de escolha para contratação de soluções de comunicações, recorrendo cada vez mais a novos métodos de aquisição, ativação e gerenciamento. A nuvem desponta como principal causa da transformação.

A Ovum destaca quatro tendências que devem ganhar espaço ano que vem:

Diversificação: apesar do movimento de consolidação de grandes operadoras ser um fenômeno global, o mercado deve continuar bastante diversificado em se tratando de UC. Haverá oportunidades “de sobra” para empresas menores, que correm por fora, oferecendo soluções inovadoras.

Serviços em nuvem: a hospedagem de serviços de comunicação unificada deve ser uma solução cada vez mais buscada, especialmente por grandes companhias. Segundo a Ovum, a fase de curiosidade a respeito da nuvem passou. As empresas estão dispostas a investir em recursos alocados em nuvem, mantendo em paralelo a hospedagem em servidores internos.

Videoconferência ubíqua: chamadas com vídeo se aproximam de se tornar um padrão na comunicação corporativa. Para a Ovum, em 2015 as empresas vão investir mais em plataformas de conferência web, usando aplicações usadas pelo consumidor. O motivo é que os funcionários estão cada vez mais habituados a usar tal recurso em casa, e andam pedindo ferramentas simples no ambiente empresarial. O desafio a ser superado é a definição de um protocolo para a interoperabilidade dos sistemas.

Videoconferência privada: os serviços tradicionais de videoconferência vão crescer, na esteira da ubiquidade. Mas devem fazer isso com a oferta de novos serviços e atualização dos já oferecidos. A consultoria espera aumento de fusões e parcerias no setor. Novos provedores de serviço devem desenvolver ferramentas que se integram a outras soluções de comunicação corporativa.

Segundo Brian Riggs, analista responsável pelo estudo, a consumerização e protocolos como o WebRTC ajudam a impulsionar estas tendências. “Outros fatores farão da videoconferência algo disponível de qualquer aplicativo, em qualquer dispositivo, ao mesmo tempo em que as UC serão mais bem suportadas por modelos complexos de nuvem híbridas”, observa. (Com assessoria de imprensa).

Fonte: Telesíntese