First Tech investe em pesquisa junto a Thales, apontando o futuro da segurança na gestão de acessos

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
First Tech investe em pesquisa junto a Thales, apontando o futuro da segurança na gestão de acessos

Para empresas de todos os setores, a busca por por eficácia e competitividade no mercado, pode significar um “cenário dos sonhos”, pois se trata de vislumbrar o aproveitamento das grandes oportunidades de expansão, criando assim soluções novas a todo momento para as demandas.

Dessa forma, também há um aumento considerável na preocupação com a segurança de acesso e a dados. E não é para menos, pois o risco de ataques cibernéticos é grande e incidentes têm ocorrido todos os dias.

Logo, é essencial que as empresas e seus profissionais caminhem sempre a um passo adiante, em relação aos cibercriminosos, que também tentam fazer o mesmo.

Da mesma maneira que as tecnologias e meios de segurança evoluem de forma rápida e exponencialmente, é essencial abordá-las com métodos de autenticação igualmente modernos. Caso contrário, as soluções podem se tornar obsoletas para os desafios atuais e os incidentes continuarão se multiplicando mais e mais.

Ataques aumentando

Uma pesquisa recente do Massachusetts Institute of Technology (“MIT”) publicada no Journal of Data and Information Quality da ACM (Association for Computing Machinery) aponta que os vazamentos de dados aumentaram 493% no Brasil no início de 2021.}

A First Tech investe todos os anos em pesquisa que é encomendada pela Thales. Em pesquisa recente, os dados apresentaram resultados de 300 profissionais de TI no Brasil e nos EUA, com responsabilidade ou influência sobre a segurança de TI e de dados, para identificar como eles trabalham e como pensam em trabalhar no futuro em relação a processos de segurança.

Alguns resultados foram os esperados. Outros, preocupantes.  Veja alguns deles:

Insistência na fragilidade

Mesmo cientes das vulnerabilidades, 46% dos profissionais de segurança de TI ainda consideram o combo “usuário + senha” o modo mais eficaz de autenticação em suas infraestruturas de TI. 

Não é só isso: a maioria desses profissionais consideram expandir este método de segurança em suas empresas. Segundo a pesquisa, 76% dos entrevistados planejam expandir o uso de senhas e 68% o de login social.

Diante deste contexto, é fundamental não apenas exercitar um olhar cuidadoso no que se refere à vulnerabilidade de sistemas ou à segurança de acessos, como também pensar em alternativas que consigam equilibrar as diferentes demandas de usuários.

Logon único inteligente (Single Sign On)

A autenticação sem senha pode ser um dos caminhos, transformando em um logon único que, segundo a pesquisa, é utilizado por apenas 37% dos entrevistados, visando a adoção segura à nuvem e a aplicações mais críticas para o negócio.

Tecnologias como SSO (Single Sign On) com o uso do token e da biometria não só atendem à crescente necessidade de maior segurança como também ao controle de acesso remoto, cada vez mais essencial à força de trabalho.

Computação em Nuvem

Foi pedido também aos entrevistados que refletissem sobre a crescente importância da computação em nuvem para empresas em geral. Aqui, todas as respostas foram no caminho de prever impactos nos recursos de nuvem e da web da empresa, devido a um gerenciamento ineficaz do acesso a estes recursos.

Contudo, ao definir quais poderão ser estes impactos, existe uma diferença entre os entrevistados dos EUA e do Brasil, o que dá uma visão fundamental desses mercados. 

Nos EUA, os entrevistados acreditam que a segurança na nuvem pode se tornar um problema devido a um gerenciamento ineficaz do acesso à nuvem, indicando a importância que eles atribuem à segurança da nuvem e à sua importância para a empresa.

Conclusão

A First Tech em parceria com a Thales, investe em pesquisa que aponta o futuro do gerenciamento do acesso à dados, principalmente em nuvem.

Quando se trata de proteger aplicativos baseados em nuvem e na web, os entrevistados estão mais inclinados a considerar que a autenticação em dois fatores (64%) é a melhor abordagem.

No entanto, é preocupante que mais de quatro em cada dez (41%) considerem que o nome de usuário e a senha são uma das melhores ferramentas, apesar das muitas falhas deste método de autenticação.

Além disso, apenas 28% veem as credenciais de redes sociais como uma das melhores ferramentas para proteger a autenticação na nuvem e na web, apesar de uma proporção muito maior aceitar que seus funcionários utilizem credenciais das redes sociais para acessar recursos da empresa.

Independentemente da forma como é feita a proteção, o gerenciamento eficaz de acesso à nuvem é essencial para as empresas. Se isso não for feito, praticamente todos (97%) os entrevistados acreditam que a empresa pode ter problemas. Entre esses, destaca-se o uso menos eficiente do pessoal de TI (53%), a nuvem que se torna um problema de segurança (47%) e aumento das despesas gerais operacionais e dos custos com TI (45%). Em suma, o gerenciamento eficaz do acesso à nuvem torna as empresas mais seguras por menos trabalho e custo.

Contar com soluções adequadas é decisivo para uma abordagem eficaz e proativa da segurança corporativa.

Baixa gratuitamente nosso Estudo sobre Gerenciamento de Acesso 2020 da Thales!

Esperamos que possa ter aprendido um pouco mais sobre o que o estudo trouxe sobre segurança de acesso.

Se desejar falar com o nosso time para saber mais, fique à vontade, será um prazer poder falar com você.

Até a próxima.

Tokenização de Bandeira

Veja também

Conheça a trajetória da First Tech

Confira como a First Tech iniciou sua jornada no segmento de tecnologia e ampliou suas possibilidades, gerando oportunidades para centenas de parceiros.

Tokenização de Bandeira