Riscos de terceiros

A importância do monitoramento dos riscos de terceiros para a segurança cibernética

O monitoramento dos riscos de terceiros é uma prática fundamental para garantir a segurança cibernética de uma empresa. Isso porque, ao trabalhar com fornecedores e outros parceiros, é comum que estes tenham acesso aos dados da organização, criando potenciais vulnerabilidades.

Assim, é importante que a empresa mantenha um controle efetivo sobre esses riscos, identificando as possíveis ameaças e adotando medidas para preveni-las ou minimizá-las. Afinal, a ocorrência de ataques cibernéticos pode ter impactos significativos não apenas na integridade dos dados, mas também na reputação da empresa.

Por isso, recomenda-se que a empresa implemente medidas de segurança, tais como monitoramento constante, avaliação de riscos de terceiros, controle de acesso e restrições de permissões, entre outras. Dessa forma, é possível reduzir as chances de vazamentos de dados e outros problemas relacionados à segurança cibernética, garantindo a proteção e o sucesso da organização.

Gestão de riscos de terceiros: entenda por que essa deve ser uma prioridade na sua cibersegurança

A gestão de riscos de terceiros, também conhecida como gerenciamento de riscos de terceiros (TPRM), visa preservar a integridade dos dados compartilhados com parceiros. Embora alguns terceirizados possam ter uma boa política de segurança, muitos negligenciam essa parte, deixando suas informações e sistemas vulneráveis. Sua empresa, por sua vez, não tem controle sobre isso, correndo o risco de ser prejudicada por conta dessas fragilidades.

Normalmente, os terceiros têm acesso a informações de identificação pessoal, registros financeiros, campanhas de marketing e, em alguns casos, até mesmo dados de funcionários e clientes. Se as ameaças não forem monitoradas, há o risco de um parceiro sofrer uma violação de segurança cibernética. Isso expõe os dados dos seus clientes, o que pode resultar em penalidades severas, mesmo que sua empresa não seja a responsável direta pelo ocorrido.

Saiba mais em: Segurança e privacidade de dados como prioridade para evitar problemas legais

De acordo com um relatório da Osano, os provedores de serviços terceirizados foram responsáveis por dois a cada três ataques cibernéticos às empresas atingidas por violações de segurança cibernética. Assim, gerenciar os riscos de terceiros é uma das maneiras mais efetivas de evitar sanções, multas e danos à imagem corporativa.

Saiba os pontos principais de uma gestão eficiente de riscos de terceiros

Antes de mais nada, é importante esclarecer que essa gestão não deve ser realizada de forma confrontadora. Pelo contrário, resultados ainda melhores podem ser alcançados se as ações forem colaborativas. Outro ponto importante é distinguir entre os riscos inerentes e residuais. Os primeiros são aqueles que podem ser mitigados através do monitoramento, enquanto os últimos estão fora de seu controle. Lembre-se de que cada parceiro possui suas particularidades e ameaças próprias do seu próprio ecossistema e atividade, o que significa que é impossível eliminar todas as vulnerabilidades.

No que diz respeito ao momento inicial do monitoramento, é sugerido que ele comece no momento da contratação e que abranja todo o ciclo de vida do relacionamento, encerrando apenas quando não houver mais vínculo entre as partes. Além disso, é necessário saber que as ameaças e a proteção de riscos mudarão ao longo do contrato, o que exige atenção quanto à periodicidade da avaliação. Ao contrário das auditorias pontuais, essa gestão deve ser realizada regularmente.

Como você pode imaginar, não há uma resposta pronta sobre como implementar o monitoramento de risco de terceiros. Afinal, as realidades de cada uma das suas relações são diferentes e apenas os gestores saberiam identificar os atos mais críticos de cada uma. No entanto, existem alguns pontos universais que se adaptam a qualquer empresa. São eles:

  • Compreenda em detalhes os riscos de conformidade enfrentados pela sua empresa;
  • Adapte seu processo de triagem cuidadosamente;
  • Utilize dados confiáveis para embasar as decisões;
  • Tenha procedimentos para lidar com vários níveis de risco de terceiros;
  • Audite a eficácia do seu programa de gestão de riscos com frequência.

Esperamos que ao longo do texto, você tenha compreendido a importância do monitoramento de riscos, incluindo de terceiros.

Se desejar conversar com o nosso time, ficaremos felizes em poder sanar suas dúvidas.

Até a próxima!

Cibersegurança