Entenda como Network Token (token de bandeira) ajuda a fidelizar clientes no e-commerce

Entenda como Network Token (token de bandeira) ajuda a fidelizar clientes no e-commerce

Fidelizar clientes é uma das prioridades que todo gestor deve ter em mente. Até porque é sabido que conquistá-los é muito mais caro que mantê-los na base. E para quem depende dos meios de pagamento digitais para preservar o caixa no azul, a tokenização de bandeira é uma ótima aliada nesse objetivo.

Com ela, você é capaz de suprir algumas das principais demandas dos consumidores 4.0. Agilidade no pagamento, segurança de ponta a ponta e uma excelente experiência de compra são algumas das mais relevantes na hora de fidelizar clientes.

Entenda como fidelizar clientes em seu e-commerce com Network Token, ou token de bandeira e ainda garantir mais segurança aos seus usuários.

Tokenização de bandeira: por que ela é fundamental para fidelizar clientes

Antes de tudo, é bom saber o que, de fato, é a tokenização de bandeira, ou Network Token, como também é chamado. A tecnologia é uma camada de segurança aplicada nas transações com cartão de crédito, onde um token de bandeira é gerado, usando os dados do cartão que são atrelados ao dispositivo, ao checkout e a localização do usuário. Isso significa que a segurança é aumentada, garantindo transações mais rápidas e seguras para o usuário.

E aqui está o primeiro ponto relevante ao fidelizar clientes: garantir a segurança. De acordo com um levantamento da PSafe, três a cada cinco brasileiros dizem ter medo de serem vítimas de um ataque e terem seus dados vazados. Outro relatório, desta vez produzido pela Mastercard em parceria com a Kantar Consulting, mostrou que para 87% dos entrevistados, a segurança das transações e das informações pessoais é considerada fundamental para finalizar uma compra.

Ainda que esse seja um bom motivo para considerar o Network Token (tokenização de bandeira) um aliado na fidelização de seus clientes, ele não é o único. Abaixo, listamos mais 2 impactos dela na manutenção da sua base.

1. Atualização automática dos dados do cartão do usuário

Se fidelizar clientes é importante para empresas de e-commerce, para aqueles que têm a recorrência de pagamentos como modelo de negócio, isso é fundamental. Afinal, muitos imprevistos podem fazer com que o usuário saia involuntariamente da base —  como, por exemplo, o vencimento do cartão. Com o Network Token (tokenização de bandeira) isso não acontece, uma vez que o token gerado na primeira transação continua válido. Sendo assim, mesmo que as informações mudem, ele continuará valendo.

2. Experiência aprimorada do usuário

O Network Token é uma tendência a substituir as credenciais de pagamentos. Segundo o relatório “Tokenização de pagamento: principais oportunidades, análise de segmentos e previsões de mercado 2022-2027”, o número total de transações de pagamentos tokenizados excederá US$ 1 trilhão globalmente até 2026. Apenas na projeção de 2022, o estudo indicou que o valor ultrapassaria a marca de US$ 680 bilhões. Dessa forma, aderir à solução é manter-se de acordo com um dos principais movimentos do mercado e, igualmente, com as expectativas dos usuários ― que é o primeiro passo para fidelizar clientes.

Além disso, a tokenização de bandeiras também pode ajudar a acelerar o processo de pagamento. Isso porque os dados já estão criptografados e armazenados. Assim, o processo de compra pode ser concluído com apenas um clique, sem a necessidade de preencher formulários a cada transação.

Network Token (Token de Bandeira) para garantir segurança, inovação e ainda, transformar o mercado de pagamentos

  • O Network Token (Token de Bandeira) usa protocolos e formatos como FPE – Format Preserving Encryption, a fim de garantir integrações e as características dos campos.
  • Simplifica o escopo do PCI, resguardando as informações e concedendo uma cópia validada para ambientes de homologação, testes e desenvolvimento.
  • Armazena chaves criptográficas fora do banco de dados, gera defesa contra acessos privilegiados do DBAdmin e simplifica a integração de aplicações. Com a utilização de RestFulAPI — com uma linha de comando ―, as aplicações podem tokenizar/ destokenizar.
  • Otimiza o fluxo de pagamentos, tornando-o ágil, protegido e o mais importante: em conformidade com PCI PIN e PCI DSS.
  • Não necessita de equipamento próprio de HSM – Hardware Security Module.

 

E aí, pronto para dar o próximo passo e começar a fidelização de clientes?

Entre em contato com a First Tech e converse com um de nossos especialistas.

 

Cibersegurança