6 medidas para a proteção de dados da sua empresa

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
6 medidas para a proteção de dados da sua empresa

Os desafios de gerentes, diretores e equipes de TI são diversos e, dentre eles está a rápida atualização e inovação de tecnologia, a garantia de segurança dos dados e redes, dentre outros.

Empresas de médio e grande porte estão na mira constante de ataques e com isso, os desafios relacionados à segurança e violações de dados só aumentam.

Uma violação ocorre quando os dados são acessados e/ou usados sem a permissão do proprietário autorizado. E claro, sendo esses dados sobre uma pessoa, são de cunho pessoal e privado, sendo que seu uso pode causar danos emocionais e financeiros; isso, inclusive, é o que faz com que as violações de dados sejam consideradas crimes.

Logo, os cibercriminosos podem usar informações pessoais para assediar vítimas, se apossar de identidades, roubar dinheiro ou cometer diversos outros tipos de crimes.

Como responsável pela segurança e/ou pelos dados na organização, é de sua responsabilidade aplicar medidas de prevenção, protegendo tudo o que está armazenado dentro do banco de dados ou repositórios.

A era digital tornou simples a coleta e o armazenamento de dados, mas também facilitou consideravelmente o acesso não autorizado e, consequentemente, roubo de dados de qualquer lugar.

6 medidas para a proteção de dados da sua empresa

Listamos 6 medidas que consideramos importantes para que equipes, gerentes e diretores de TI possam adotar, colaborando com a segurança dos dados no negócio.

1- Mapeamento de dados

  • O mapeamento de dados consiste em identificar as informações que existem na organização, permitindo organizar, analisar e entender grandes quantidades de dados armazenados nos mais diversos locais para que seja possível extrair conclusões e insights;
  • O mapeamento de assets consiste na estruturação dos ativos que integram o ciclo de vida dos dados, além de garantir a disponibilidade de seus serviços e produtos aos clientes. Para isso, existem recursos como o monitoramento da extensão dos sistemas, identificando fragilidades que devem ser reparadas, entre outros;
  • O mapeamento do nível de exposição atual da empresa tem como principal objetivo o de contribuir para as medidas de cibersegurança. Dessa forma, são identificados os tipos de fragilidades dos sistemas utilizados, além de mostrar uma solução para a correção das mesmas.

2- Simulações de ataques

As simulações de ataque servem para analisar como é o comportamento da equipe diante de um evento como este, considerando pontos como o tempo de identificação e resposta ao incidente.
Elas têm também como objetivo, entender como se comportará a solução de prevenção e proteção de dados adotada pela equipe em relação a sua real eficiência.

3- Políticas de segurança

Criar, adotar e implantar uma Política de Segurança da Informação (PSI) é uma medida importante, pois, se trata de uma série de padrões, normas e diretrizes a todos os colaboradores que utilizam a infraestrutura de TI, a fim de garantir a confidencialidade, integridade e disponibilidade dos dados, deixando o ambiente protegido contra eventuais ameaças que possam prejudicar sua operação.

Na elaboração da política de segurança da informação, é importante constar alguns itens como:

  • Estabelecimento de um comitê de SI;
  • Normas como ISO 27001 e ISO 27002;
  • Uso de criptografia para proteção de dados;
  • Normas de backup, recuperação e recursos de DLP;
  • Política de senhas e restrições de acesso;
  • Normas sobre o uso de dispositivos, internet, uso e instalação de softwares e acesso por dispositivos pessoais;
  • Rotinas de auditoria;
  • Boas práticas de uso do e-mail;
  • Penalidades aplicáveis.

4- Proteção da Cloud

O sistema de computação em nuvem atualmente é uma prática comum.

A proteção da cloud é a ação de garantir que todos os dados e serviços que estão armazenados exatamente em uma nuvem sejam protegidos de ataques ou violações que causem a falta de disponibilidade, integridade e confidencialidade.

Seu principal benefício para a proteção trata-se da descentralização dos dados que estão armazenados em servidores e locais diferentes, o que permite a rápida recuperação dos dados.

5- Tenha um time estratégico

Para que todos os passos sejam seguidos e aplicados com eficiência, um time estratégico é fundamental, visto que ele terá a função de identificar, analisar e considerar soluções para possíveis ciberataques.
Ter uma equipe de TI com atuação mais analítica e menos operacional faz com que a gestão seja otimizada.

Através de uma atuação mais estratégica, a cultura da remediação deixa de existir, deixando espaço para uma cultura para prevenção.

6- Como escolher uma ferramenta para automatizar o processo de proteção de dados?

Sabemos que os dados são um fator de grande relevância e importância em uma organização, por isso, adotar soluções de proteção, cujo principal recurso é a criptografia, deixando o ambiente mais seguro contra os ataques, inclusive de Ransomware.

Adotar uma tecnologia que seja capaz de descobrir, proteger e controlar os dados, inclusive sensíveis, em qualquer lugar, é uma solução eficaz e completa, o que simplifica todos os processos de controle de segurança contra incidentes.

Esperamos que você gestor, gerente, diretor ou responsável pela segurança da informação aí em seu negócio tenha entendido um pouco mais sobre o assunto.

Você pode entrar em contato conosco e saber mais.

Um abraço e até a próxima!

Tokenização de Bandeira

Veja também

Tokenização de Bandeira