Como prevenir ataques de ransomware?

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
prevenção de ataques de ransomware

A prevenção de ataques de ransomware é uma pauta prioritária na rotina da sua empresa? No cenário ideal, a única resposta possível para esta pergunta é sim, tendo em vista a gravidade e a iminência de um ciberataque. Entretanto, é comum que gestores deixem esse tema de lado na esperança de que nada ocorra e que hackers se mantenham distantes do negócio.

E é aí que o problema começa. Além dos impactos financeiros causados por ataques de ransomware, essa adversidade pode expor a organização de diversas formas. O formato consiste em um código nocivo que sequestra as informações sensíveis e codifica dados de sistemas corporativos. Quando isso acontece, os colaboradores perdem o acesso às plataformas e só conseguem reaver pagando um resgate.

Sabe aquele e-mail contendo um anexo ou link suspeito que você recebeu, mas ignorou? Essa é a forma mais comum de invasão. Os cibercriminosos disparam conteúdos maliciosos no corpo da mensagem e orientam a inserir login e senha. A partir disso, eles automaticamente passam a controlar toda a máquina.

Para saber como evitar esse tipo de prejuízo, acompanhe as dicas deste artigo! Selecionamos algumas das principais estratégias que podem ser colocadas em ação ainda hoje para prevenção de ataques de ransomware.

Descubra como agir para garantir a prevenção de ataques de ransomware

O fato é que o aumento exponencial dos ciberataques colocam em risco as estruturas de tecnologia de qualquer companhia. Diante de um cenário tão perigoso, atuar na prevenção de ataques de ransomware é uma prática indispensável. Porém nem sempre as organizações conseguem contar com uma equipe interna de TI. Isso se dá pelo alto custo ou por uma crença de que nenhum problema real vai atingir a empresa.

Engana-se quem pensa que, na era da tecnologia, há como ter uma operação resguardada sem eliminar os riscos antecipadamente. Se você quer agir na raiz do problema e ir além do básico, continue a leitura.

1. Faça downloads de sites seguros

Efetuar um download pode parecer uma tarefa inofensiva. Mas não é quando tratamos de hackers sofisticados e bem aparelhados. A melhor saída, nesses casos, é baixar softwares diretamente do site do desenvolvedor. Para identificar a navegação segura, confira a barra de endereço. Nela, deve constar “https” em vez de “http”. O escudo ou símbolo de cadeado também é um bom sinal.

2. Mantenha um backup atualizado

Imagine que o hacker tenha tido sucesso na invasão. No comando integral do aparelho, todos os arquivos importantes estarão fora do seu alcance. E não pense que os ransomwares não buscam também pelo backup. Porém, com um plano de recuperação estruturado, o problema será minimizado. Apesar de ser uma maneira eficiente de diminuir os impactos, o restabelecimento pode ser caro e demorado.

3. Conte com um fornecedor com portfólio amplo

Atualmente, existem milhares de ferramentas dispostas a oferecer camadas de proteção aos equipamentos. Dessa forma, encontrar o parceiro certo para aplicar tudo isso é muito importante. Escolha aquele que oferece soluções unificadas e de última geração, além de criptografia em todas as pontas. Ainda, avalie se o provedor tem capacidade de detectar a invasão antes que ela aconteça.

4. Utilize sistemas seguros para e-mail e navegação web

Apesar de não ser completamente à prova de ataques, ter cuidado com cada passo durante o acesso a sites, e-mails e links é importante. Não responda a formulários ou mensagens que não tem certeza sobre a origem. Nos navegadores atuais, existem extensões específicas para promover tranquilidade durante o uso, instale-as. O HTTPS Everywhere é um dos exemplos disponíveis no mercado.

5. Oriente a equipe sobre o assunto

Seu time é que vai estar lidando diretamente com as tentativas de violação, por isso, orientá-los é crucial. Trabalhe com materiais impressos distribuídos nas estações de trabalho, comunicação na intranet, dentre outros. Nos conteúdos, é possível sugerir dicas como:

  • evitar divulgar informações sensíveis da companhia em chats;
  • use senhas complexas e autenticação de dois fatores;
  • não abrir anexos e links de e-mails suspeitos;
  • utilizar apenas dispositivos USBs conhecidos;
  • atualizar os programas regularmente.

E se mesmo seguindo todas as orientações acima, a fraude ainda ocorrer? Nesses casos, não pagar o resgate pode ser a melhor opção.

Recentemente, criminosos exigiram 240 milhões de euros da empresa MediaMarkt para libertar seus dados. Um montante alto, não é mesmo? Não há como ter uma ideia concreta de todas as adversidades causadas, mas estima-se que mais de 3.000 postos de trabalho e servidores foram afetados. Mesmo com tantos estragos, especialistas afirmam que o pagamento do resgate não deve ser realizado. Isso porque não há uma certificação de que os dados serão realmente devolvidos. E mesmo que isso se concretize, como você viu, os rastros de destruição não somem após a transferência.

Infelizmente, não há uma receita pronta que exclua esse tipo de golpe do radar. Porém, as dicas que você acabou de conferir são capazes de mitigar as fraudes e aumentar o preparo para lidar com eles.

Agora você sabe como a prevenção de ataques de ransomware é importante, então chegou o momento de investir seus esforços nas ações de crescimento da empresa. Agende uma conversa com especialistas agora mesmo e deixe a prevenção de ataques de ransomware com a First Tech.

Tokenização de Bandeira

Veja também

Conheça a trajetória da First Tech

Confira como a First Tech iniciou sua jornada no segmento de tecnologia e ampliou suas possibilidades, gerando oportunidades para centenas de parceiros.

Tokenização de Bandeira