Logo First Tech, soluções de pagamentos

Descubra como a Inteligência Artificial está mudando o cenário da segurança cibernética

Inteligência artificial segurança cibernética

Quando falamos em segurança cibernética, é bom lembrar que as equipes de TI precisam estar em constante estado de alerta, afinal, os ataques estão cada vez mais sofisticados e isso torna o trabalho uma grande corrida. A boa notícia é que, na verdade, não é de hoje que existe um grande aliado na prevenção e detecção de vulnerabilidades: a Inteligência Artificial (IA).

Assunto em alta nos últimos tempos por conta do lançamento do ChatGPT, essa tecnologia já vinha sendo implementada pelas empresas que desejam dar um passo além da sua segurança cibernética. Neste artigo, iremos mostrar como a Inteligência Artificial lhe ajuda a manter seus dados seguros aí em sua empresa e, também, o que mais ela pode fazer pela proteção da sua rede.

Saiba como a Inteligência Artificial contribui para a segurança cibernética

Antes de tudo, é importante lembrar que a IA não é uma solução mágica para a segurança cibernética e não substituirá os profissionais dessa área. Até porque, embora consiga mitigar os riscos, não elimina 100% as chances de invasão. Por isso, é necessário ter uma abordagem de segurança em camadas que inclua a IA como uma parte importante, mas não única, da solução geral.

Dito isso, ressaltamos que aderir à Inteligência Artificial é uma maneira de se adaptar às mudanças no cenário da segurança cibernética. Dessa forma, utilizá-la é urgente para as empresas que buscam manter-se protegidas e fora da mira dos ataques cibernéticos.

Automação da segurança cibernética

A Inteligência Artificial pode ajudar a automatizar tarefas de segurança cibernética, tal qual análise de logs e gerenciamento de patches. Ao levar mais agilidade para os processos de detecção, investigação e resposta de invasões, auxilia igualmente no gerenciamento de incidentes. Ainda, vale lembrar que todos esses passos geram dados importantes para os profissionais de TI, como comportamento do usuário e desempenho dos sistemas. Em posse dessas informações, eles têm a chance de se concentrar no aprimoramento das práticas de segurança e do monitoramento do sistema.

Previsão de ataques

Por analisar dados o tempo todo, a Inteligência Artificial consegue identificar padrões e desvios. Isso é muito relevante, pois, ainda que sejam usadas novas abordagens em ataques cibernéticos, algumas táticas se repetem e, assim, são descobertas rapidamente. O mesmo acontece com comportamentos anormais: logo que identificados, a IA emite alertas ao time de segurança cibernética. O mapeamento constante das vulnerabilidades em sistemas e aplicativos é outro modo de antever problemas e possibilitar a correção antes que eles aconteçam.

Detecção de ameaças

Novamente, o poder de análise de um grande volume de dados em um curto espaço de tempo é o grande diferencial da IA na hora de detectar ameaças. A partir disso, ela pode identificar tentativas de ransomware, phishing e ataques de negação de serviço, só para citar algumas das mais comuns. Para as empresas, isso é extremamente importante, especialmente para aqueles que têm colaboradores trabalhando remotamente.

Leia também: 7 dicas de segurança para empresas com home office.

Pessoas mal-intencionadas têm usado Inteligência Artificial em ataques cibernéticos

Novas técnicas e táticas são aplicadas em ataques cibernéticos cada vez mais, ou seja, cibercriminosos usam Inteligência Artificial como ferramenta para aumentar as chances de sucesso em uma invasão a sistemas. Por exemplo, os ataques de força bruta ― em que um grande número de combinações de senhas é testada até que a correta seja encontrada ― ficam muito mais eficientes. Isso quer dizer que, agora, muito menos tempo é demandado até que a informação seja obtida.

Os ataques de phishing e engenharia social também vêm se utilizando da Inteligência Artificial para obter sucesso. Isso porque a IA pode vasculhar perfis em mídias sociais ou sites pessoais para conseguir dados. A partir disso, há a personalização e otimização de campanhas ao criar e-mails que pareçam legítimos.

Já dá para perceber que, na verdade, há uma queda de braço entre quem utiliza a Inteligência Artificial para proteger sistemas e os que recorrem a ela para atacar, certo?

Exatamente por isso é que a Inteligência Artificial precisa ser um auxílio na hora da proteção, além das ações proativas — como treinamento, autenticação forte, criptografia e monitoramento de atividades suspeitas.

Esperamos que este conteúdo tenha ajudado a entender o papel que a Inteligência Artificial vem desempenhando quando se trata de segurança cibernética. Para garantir a segurança de seu ambiente aí em sua empresa, não hesite em falar com o time First Tech.

Cibersegurança