Opções de privacidade

Descubra como garantir a segurança nas transações no seu e-commerce

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
segurança nas transações do e-commerce

Desenvolver estratégias buscando aumentar a segurança nas transações do e-commerce é uma necessidade emergente nos últimos anos. Da mesma forma, o tema representa um enorme desafio para os gestores da área de inovação e varejo. Estes precisam impedir as tentativas de violação de dados todos os dias.

Mesmo que a pandemia tenha desenvolvido o setor de tecnologia em vários sentidos, beneficiando as transações on-line, os invasores estão muito bem preparados. Seus golpes sofisticados e silenciosos ganham visibilidade no noticiário e caracterizam uma grave ameaça à estabilidade financeira de muitas empresas.

No quesito ampliar os níveis de proteção, as companhias ainda têm dificuldades para encontrar métodos eficientes de defesa. Mas é possível reverter o cenário! Ao longo do artigo, você vai conferir recomendações importantes, passíveis de aplicação imediata. Boa leitura.

5 dicas para garantir segurança nas transações do e-commerce

Digitalizar é importante, mas ordenar essa evolução com boas práticas para ampliar a segurança nas transações do e-commerce é indispensável. Para que a sua loja se mantenha competitiva e protegida contra fraudes, siga as dicas a seguir! Elas podem ser aplicadas em plataformas já existentes ou em sites que estão na etapa de planejamento. Acompanhe e aproveite.

1. Tenha uma política de proteção de dados

Em tempos de LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) ativa, o cuidado com as informações solicitadas ao usuário deve ser redobrado. É tarefa da empresa mantê-las a salvo e coletar somente o que é realmente necessário. Criptografar tudo isso e administrar em uma base bem protegida é primordial. Para além das normas estabelecidas na lei, a ação é importante para a segurança dos seus clientes e da empresa.

2. Trabalhe com soluções customizadas

Os riscos estão presentes em todas as atividades. Basta uma pequena brecha surgir para que os hackers tomem o controle da operação. Sim, as circunstâncias são preocupantes, mas, como já citamos anteriormente, há como agir preventivamente e responder com agilidade, desde que haja atenção.

Uma solução, neste caso, é possuir ferramentas customizadas no e-commerce. Para avaliar o que faz sentido implementar, faça uma varredura de ponta a ponta e identifique as principais necessidades. A partir disso, terá uma noção clara de quais são as vulnerabilidades. Elas podem estar na parte de pagamentos, na área de login, enfim, as brechas possíveis são muitas.

Compreendendo onde as falhas estão, é mais fácil buscar recursos específicos para estancar o problema. Realizar os ajustes com esse olhar refinado será o diferencial da sua organização em casos extremos.

Conheça o HSM da First Tech, referência de mecanismo personalizado para oferecer segurança nas transações via cartão de crédito.

3. Conte com meios de pagamentos seguros

Que as pessoas priorizam estabelecimentos que oferecem formas de pagamento diversas você já sabe. Aliado a isso, elas também esperam que a empresa tenha fornecedores confiáveis tratando de um fator tão delicado.

O processamento das transações deve ocorrer por meio de provedores bem posicionados no mercado. Estar em conformidade com o PCI, por exemplo, é um critério de avaliação que deve ser levado em conta. Isso porque o sistema é reconhecido mundialmente quando o assunto envolve pagamentos digitais. Se houver alguma solução antifraude integrado é outro ponto positivo.

4. Determine a criação de senhas fortes

Segundo o Relatório do Varejo 2022, 70% dos entrevistados não comprarão de marcas que ofereçam uma má experiência. Isso diz respeito aos ambientes digitais e físicos.

É evidente que os clientes assumiram um protagonismo ainda maior sobre a sua jornada de compra. A situação ocorre tanto no aspecto do que desejam adquirir e vivenciar na troca com as marcas, quanto na própria garantia de preservação. Solicitar a criação de uma senha robusta para os acessos em lojas virtuais é um exemplo de como a participação ativa dessas pessoas contribui para a sua proteção.

Ao liberar a criação da autenticação, torne regra o uso de caracteres maiúsculos, minúsculos, números e símbolos variados. Se for viável, estabeleça a autenticação de dois fatores.

Tudo isso auxilia na hora de prevenir ciberataques. Além dessa preocupação, o consumidor tende a registrar a mesma senha em todas as contas, o que é completamente inadequado. Oriente-o sobre como esse hábito é prejudicial e como os casos de vazamento de informações são frequentes hoje em dia.

5. Mantenha o backup atualizado

Este é um conselho que está sempre presente em nossos conteúdos. E não é para menos! Ter um backup diário é uma excelente saída para resguardar os dados em caso de invasão. Se o site for atacado, recuperar a base dificilmente será um obstáculo e os clientes ficarão tranquilos.

Como você leu, sustentar a segurança nas transações do e-commerce está longe de ser um processo de ações isoladas. Garanti-la depende de vários passos ordenados, e seus compradores buscam por isso!

Se quiser continuar acompanhando as novidades, tendências e dicas sobre o mercado de pagamentos digitais, nosso blog está recheado de conteúdos relacionados! Complemente a leitura com outros artigos e entenda mais sobre a segurança em camadas necessária na operação. Clique aqui para acessar.

Cibersegurança

Veja também

Cibersegurança