Como evitar fraudes em transações bancárias

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Como evitar fraudes em transações bancárias

Como evitar fraudes em transações bancárias enquanto o mercado de pagamentos digitais está na mira dos ciberataques? No artigo de hoje, você vai entender mais sobre o contexto dessas situações que são, no mínimo, desagradáveis. Traremos à tona, também, uma solução capaz de reforçar a segurança nesse sentido.

Os avanços tecnológicos oportunizam a criação e ampliação de oportunidades em todas as esferas do cotidiano. No âmbito dos pagamentos, ficam evidentes os avanços que a inovação proporciona. Porém, na medida em que essas transformações vêm melhorando a vida das pessoas, elas abrem brechas para o mau uso dos recursos. Continue a leitura para compreender o assunto por completo.

Veja como está o cenário atual e saiba como evitar fraudes em transações bancárias

Segundo pesquisa divulgada pela Exame, ainda em 2022, estima-se que o montante em golpes financeiros ultrapassará R$ 2,5 bilhões. É um número significativo e preocupante, tanto para as companhias quanto para seus clientes. E é aí que entram os esforços de todas as partes para encontrar meios de como combater as fraudes em transações bancárias.

A Serasa Experian revelou que, em maio de 2021, cerca de 331,2 mil brasileiros foram vítimas de algum tipo de fraude. Desse número, aproximadamente 176 mil ocorrências (53,3%) foram feitas a partir de contas bancárias ou cartões de crédito. Apenas dois meses antes, em março, eram 79,9 mil registros. O aumento foi expressivo. Mas, afinal, o que contribui para esse crescimento? Confira alguns pontos que podem ser problemáticos:

  • processamento e aprovação de pagamentos com agilidade, desafiando entidades a encontrarem soluções para promover defesas em tempo real;
  • abertura do mercado financeiro com o Open Bankingtraz a demanda de adaptações rápidas;
  • roubo de informaçõespor meio de falsificação de documentos;

Descubra como evitar fraudes em transações bancárias com orientações internas e uma solução especializada

É claro que a diminuição de riscos depende de diversos fatores. Mas, ainda que seja amplo, é possível abrir caminhos por meio de algumas ações práticas e soluções tecnológicas. A seguir, veja como evitar fraudes em transações bancárias com métodos essenciais e uma ferramenta indispensável.

Dentro de uma organização, existem alguns passos importantes a serem aplicados para garantir proteção contra golpes. Envolver todo o time é um deles. Mesmo que a segurança de dados pareça um termo relevante somente para a equipe de desenvolvimento, na prática, não é bem assim. Pessoas e processos devem estar alinhados, possibilitando uma visão crítica sobre falhas e ampla acerca das resoluções.

Outro ponto a se atentar é a necessidade de providenciar respostas instantâneas em situações de vulnerabilidade. Ainda que fraudes sejam ocorrências inesperadas, antecipar as adversidades para minimizar os impactos é fundamental. Neste ponto, realizar testes também é crucial. Eles permitem uma avaliação mais concreta do problema, suas causas e formas de controle. Com isso, há um ponto de vista claro sobre as etapas e, principalmente, das prioridades.

Confira como evitar fraudes em transações bancárias com a tokenização de bandeira

Costumamos dizer que a tokenização de bandeira funciona como uma camada extra de segurança nos pagamentos digitais. O recurso é capaz de substituir os dados sensíveis do usuário por códigos indecifráveis. Isso inclui números de conta bancária, cartão de crédito, dentre outros.

Um hacker pode até conseguir entrar no seu sistema, no entanto, tudo que ele verá serão algoritmos sem sentido algum. Para o cliente, visualmente, tudo se mantém igual. As autenticações acontecem “por baixo dos panos” e somente pessoas autorizadas poderão acessar e manusear as informações.

O HoP DTS é a solução da First Tech para aplicar a tokenização de bandeira em seu fluxo de pagamentos. A plataforma utiliza protocolos e formatos como FPE – Format Preserving Encryption para viabilizar integrações e atributos de cada campo. É importante destacar, ainda, que ela opera em conformidade com o PCI PIN e PCI DSS. Isso torna possível simplificar o escopo e resguardar os elementos principais. Se preciso for, há a alternativa de conceder uma cópia válida para ambientes de testes, desenvolvimento e homologação.

Ocorre, também, o armazenamento de chaves criptográficas fora do banco de dados, gerando defesa contra logins privilegiados do DBAdmin e simplificando a integração de aplicações. Com a utilização de RestFulAPI – com uma linha de comando ―, as aplicações podem tokenizar/destokenizar.

Acesse nosso site para conferir mais benefícios de ter uma solução como essa funcionando em sua empresa. Se desejar, você pode solicitar uma demonstração com nossos especialistas. Será um prazer falar mais sobre o HoP DTS e apresentar maneiras de como evitar fraudes em transações bancárias.

Tokenização de Bandeira

Veja também

Tokenização de Bandeira